A empatia dos adolescentes está diretamente com os relacionamentos em casa

Estudo acompanhou os relacionamentos de 174 adolescentes durante o período de quatro anos.
23 Agosto 2021

Segundo o estudo desenvolvido pelo departamento de psicologia da University of Virginia, nos Estados Unidos da América, os adolescentes com relação próxima e segura com a sua família desenvolvem, com maior probabilidade, empatia por outras pessoas.

Jessica Stern, autora do estudo, declara, à CNN, que “os adolescentes não gostam, geralmente, que lhes digam o que fazer e penso que não funciona dizer-lhes que devem ter empatia pelos outros (…) O que funciona é verem empatia”.

Esta questão foi respondida pela análise do relacionamento entre pais e filhos de 174 adolescentes, durante os período de quatro anos, em que estes percorrem o período dos 14 aos 18 anos, e relacionando isso com o relacionamento dos jovens entre si. Este estudo teve, ainda, como base, a teoria do apego, que remete para “a ideia que todos os seres humanos têm necessidade de se relacionarem”.

Jessica conclui que “os resultados que obtivemos sugerem que, para promover empatia nos adolescentes, os pais precisam de expressá-la e estimulá-la”.

ÚLTIMAS

Share This