Cinco detidos por violência doméstica no espaço de dois dias

Situações, que envolviam não só casais, mas um caso de violência entre filha e mãe, aconteceram na Grande Lisboa.
02 Fevereiro 2022

 No sábado e no domingo, dias 29 e 30 de janeiro, cinco pessoas foram detidas, por serem suspeitos da prática do crime de violência doméstica, refere um comunicado do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.



Os detidos são três mulheres e dois homens, com idades compreendidas entre os 27 e os 58 anos.

A primeira mulher, de 38 anos, foi detida no sábado em Oeiras, por violência doméstica sobre a mãe. A agressora, com “problemas relacionados com o consumo de estupefacientes”, comparecia sistematicamente em casa dos pais “para exigir, com recurso a coação e agressões, dinheiro para o sustento do vício”.



Ainda que já tivesse sido sujeita a medida de coação, a agora detida continuou com a mesma conduta e, “perante recusa da progenitora a entregar-lhe dinheiro, subtraiu-lhe o cartão bancário, que utilizou em diversos pagamentos contactless”, refere a PSP.

Presente ao Juiz de Instrução Criminal, para 1.º Interrogatório Judicial, acabou por ficar em prisão preventiva.

No mesmo dia, em Carnaxide, uma mulher de 27 anos e homem de 33 anos, foram detidos quando os polícias foram chamados “por serem audíveis gritos da mulher, provenientes do interior de uma viatura”. Quando foram abordados, a PSP verificou que decorria uma discussão entre o casal, na qual ambos trocaram agressões, “havendo necessidade de intervenção policial para as cessar”.



Por este motivos, foram ambos detidos e, depois de terem sido ouvidos em sede de primeiro interrogatório, ficaram sujeitos à medida de coação de Termo de Identidade e Residência, .

Ainda no sábado, a terceira detida foi uma mulher de 58 anos que tentou esfaquear o ex-companheiro, pelas 21h35, em São Domingos de Rana, Cascais.

“Chamados à residência da suspeita, os Polícias verificaram que o homem estava a ser assistido pelos bombeiros dada a agressão com uma arma branca o que obrigou ao transporte do mesmo para uma unidade hospitalar para intervenção cirúrgica”, revela a PSP, que acrescenta que a suspeita tinha a roupa ensanguentada.

A faca, que também continha vestígios de sangue, foi apreendida.



A detida foi presente a Tribunal tendo-lhe sida aplicada a medida de coação mais gravosa – prisão preventiva.

“Já no dia 30 de janeiro, pelas 21h45, em Queijas, foi detido um homem de 41 anos, em flagrante delito, pela prática de violência doméstica contra a ex-companheira”, detalha o comunicado.

Tudo aconteceu depois de um alerta para o facto de o homem estar nas imediações da casa da vítima, “com comportamento bastante alterado e exigindo-lhe que devolvesse os seus pertences”.



O homem desferiu vários murros e pontapés na porta da residência da vítima para a arrombar e aceder ao interior, “ao mesmo tempo que proferia impropérios e ameaças contra a integridade física e vida da vítima, alegando ainda que dispunha de uma arma de fogo com a qual lhe poria termo à vida e de seguida à sua própria vida”.

Presente a tribunal, acabou por ficar sujeito a apresentações bissemanais e a afastar-se da vítima, mediante vigilância eletrónica.

ÚLTIMAS

Share This