Jovem colocava telefones de colegas em sites de encontros

Arguida está acusada dos "crimes de coação, perseguição e perturbação da vida privada em ambiente escolar".
10 Fevereiro 2022

Uma jovem de 19 anos foi ontem, dia 9 de fevereiro, constituída arguida pelo Comando Territorial da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Braga, através do Posto Territorial de Póvoa do Lanhoso, “pelos crimes de coação, perseguição e perturbação da vida privada em ambiente escolar”.



Depois de uma denúncia, foi “possível apurar-se que a suspeita, através das redes sociais, criava perfis falsos com o objetivo de criar medo e inquietação contra outros jovens inseridos nessa comunidade escolar”, conta a GNR em comunicado enviado às redações.

A suspeita colocava ainda números de telemóvel de outros alunos em sites e de plataformas de encontros amorosos “para causar o mal-estar a nível psicológico”, completa a informação.


“Comportamentos estes que configuram vários crimes e associados ao designado por ‘cyberbullying’, detalha ainda a Guarda Nacional Republicana.

Foi dado cumprimento a dois mandados de busca, uma domiciliária e outra em estabelecimento escolar. Foi apreendido um computador, cinco telemóveis, três armas de ar comprimido, uma arma de calibre .22, uma mira telescópica e uma caixa de projéteis (chumbos).


Sabe-se que a jovem foi constituída arguida e será presente hoje, 10 de fevereiro, ao Tribunal Judicial de Póvoa de Lanhoso, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

ÚLTIMAS

Share This