Ordem exige investigação a alegada falha a socorro de recém-nascido por falta de meios do INEM

"A morte deste bebé tem de ser investigada até às últimas consequências para que todas as possíveis falhas sejam rapidamente corrigidas e a confiança da população na resposta de emergência seja restabelecida”.
28 Janeiro 2022

Na manha desta quinta-feira, dia 27, um bebé de apenas oito dias perdeu a vida depois de ter sofrido uma paragem cardiorrespiratória.



 

As informações vindas a público sobre a morte do recém-nascido  que acabou por ser transportado para o Hospital de Portalegre pelos bombeiros sem ter sido assistido pela Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) configuram uma situação muito grave e que deve ser rapidamente investigada e esclarecida.


“A Ordem dos Médicos já alertou, por diversas vezes, que a Emergência Médica Pré-Hospitalar representa uma área fulcral para o sucesso do nosso sistema de saúde e que qualquer disrupção no funcionamento deste sistema pode ter consequências negativas e imprevisíveis.



 

A morte deste bebé tem de ser investigada até às últimas consequências para que todas as possíveis falhas sejam rapidamente corrigidas e a confiança da população na resposta de emergência seja restabelecida”, afirma o bastonário da Ordem dos Médicos.

ÚLTIMAS

Share This