Praga Trioza erytreae detetada no Seixal

A Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo (DRAPLVT) anunciou que foi assinalada a presença da praga psila-africana Trioza erytreae Del Guercio, no concelho do Seixal.
26 Janeiro 2022

De acordo com, a Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo (DRAPLVT), a praga foi detetada na freguesia de Corroios e na união das freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires e é considerada como muito grave para as plantas vulgarmente designadas por citrinos, concretamente laranjeiras, limoeiros, tangerineiras, limeiras e toranjeiras, bem como para Fortunella, Poncirus e seus híbridos, Casimiroa, Clausena, Choisya, Murraya, Vepris e Zanthoxylum, com exceção de frutos e sementes.



Este inseto é ainda transmissor da doença huanglongbing (Citrus Greening), provocada pela bactéria Candidatus liberibacter, que inutiliza os frutos para consumo e que acaba por provocar a morte das plantas afetadas.

Para combater esta praga, a DRAPLVT alerta todos os proprietários, usufrutuários, possuidores, detentores ou rendeiros de qualquer parcela de prédio rústico ou urbano, incluindo logradouros onde se encontrem plantas de laranjeira, limoeiro, tangerineira, limeira e toranjeira bem como, Fortunella, Poncirus e seus híbridos, Casimiroa, Clausena, Choisya, Murraya, Vepris e Zanthoxylum, afetados pela praga, que ficam obrigados ao cumprimento das seguintes medidas de proteção fitossanitária:

  • Proceder ao corte de todos os ramos com sintomas, procedendo imediatamente à sua destruição no local por meio de enterramento ou fogo, devendo neste caso cumprir as determinações obrigatórias para a realização de queimadas;
  • Complementarmente à medida anterior, em todas as plantas das espécies referidas deverá ser realizado um tratamento fitossanitário utilizando para o efeito produtos fitofarmacêuticos com ação inseticida como sejam o Epik SG (acetamiprida) ou, para uso não profissional, o Polysect Ultra Pronto (acetamiprida), produtos atualmente autorizados, que podem ser consultados em http://www.dgv.min-agricultura.pt/portal/page/portal/DGV/genericos?gener…. Deve ser mantido um registo da realização dos tratamentos, designadamente dos produtos, doses e datas de aplicação;
  • Proibição do movimento de qualquer vegetal ou parte de vegetal das espécies referidas – ramos, folhas, pedúnculos (exceto frutos e sementes) desse local;
    Caso sejam observados sintomas ou sinais desta praga, devem comunicar de imediato à DRAPLVT, através do número 243 377 500 ou do email: prospeccao@draplvt.gov.pt.
    O não cumprimento das medidas fitossanitárias acima descritas constitui uma contraordenação prevista no art.º 26.º alínea e) do Decreto-Lei n.º 154/2005 de 6 de setembro e suas alterações.



Consulte o edital da DRAPLVT, que notifica a aplicação de medidas fitossanitárias obrigatórias em plantas de citrinos infestados por psila-africana-dos-citrinos, Trioza erytreae Del Gercio e Toxoptera citricida (Kirkaldy), no concelho do Seixal.

ÚLTIMAS

Share This