Rapaz mata família por achar que a vida real fazia parte de um videojogo

A polícia paquistanesa afirmou que o adolescente sofria de "problemas psicológicos", algo que foi agravado por jogar online um videojogo intitulado 'PlayerUnknown's Battlegrounds'.
01 Fevereiro 2022

Um adolescente, de 14 anos de idade, disparou uma arma sobre a mãe, o irmão e as suas duas irmãs, os quais acabariam por morrer na sequência dos ferimentos, em Kahna, perto da cidade paquistanesa de Lahore. Segundo o Gulf Today, a responsabilidade do incidente está a ser atribuída ao “vício” que o jovem tinha por um videojogo.



As autoridades detiveram Zain Ali, de 18 anos de idade, da mesma família, após os cadáveres dos seus familiares terem sido encontrados por uma empregada doméstica.

Depois do crime, Zain Ali chegou a dormir na parte inferior da casa, mas acabou por fugir e refugiar-se numa aldeia próxima.



Na sequência desta ocorrência, a polícia local referiu que o adolescente sofria de “problemas psicológicos”, algo que foi agravado por jogar online um videojogo intitulado ‘PlayerUnknown’s Battlegrounds’. Na narrativa do mesmo, o jogador é enviado para uma ilha, onde tem de encontrar armas para matar os adversários, ao mesmo tempo que evita ser, ele próprio, abatido.

Segundo as autoridades, o rapaz terá ido buscar a pistola da mãe depois de não ter conseguido cumprir uma missão proposta pelo jogo. Terá, depois, começado a disparar sobre a mãe e os três irmãos, de 10, 14 e 22 anos de idade. O incidente decorreu na casa da família, localizada em Kahna, no Paquistão.



A polícia prendeu o jovem depois de ter encontrado manchas de sangue nas suas roupas, bem como rastos do crime espalhados pela casa. Segundo as autoridades, o rapaz terá depois confessado o assassinato dos familiares, dizendo acreditar que eles voltariam a estar vivos assim que a tarefa proposta pelo videojogo estivesse cumprida.

Depois deste crime, a polícia de Punjab afirmou ter recomendando às autoridades governamentais a proibição deste “jogo violento”. “É necessário banir o jogo para evitar atos violentos”, indicaram.

ÚLTIMAS

Share This